por 

A exposição visa resgatar a história de uma personagem que, embora falecido, está presente na memória de muitos são-joseenses até os dias atuais. Pedro Fuss foi lembrado não apenas por ser um padre carismático ou pelos seus famosos exorcismos, mas, acima de tudo, pelas ações sociais que ele promoveu.

Filho de George e Anna Fuss, Pedro nasceu em 04/10/1910, na cidade de Elversberg, Alemanha. Desde jovem, sentiu-se tocado pela fé católica graças à educação recebida em uma escola confessional, a qual ele ingressou com 6 anos de idade. De acordo com o livro “Padre Pedro Fuss, um fiel servo de Deus”, Pedro dizia desde sua infância que seu desejo futuro seria o de ser um missionário.

Em 1875, o padre alemão Arnaldo Jansen fundara, na Holanda, uma congregação de missionários denominada “Congregação do Verbo Divino”. Ela tinha como intuito propagar a fé católica pelos lugares mais humildes e desfavorecidos do mundo. Em 1924, Pedro Fuss deixa a escola primária e ingressa no seminário missionário Arnaldo Jansen, em São Wendel, distante, 15 km de sua casa. Em 1938 se ordena padre e é destinado para a Holanda, mas apenas um ano depois já retorna para sua terra natal e celebra sua primeira missa ao lado de seus familiares. Contudo, Fuss sentia a necessidade de se desligar de seu mundo para levar a palavra a um mundo distante e humilde, como pregara Arnaldo Jansen.

A congregação decide, primeiramente, levá-lo à Papua – Nova Guiné, na Oceania, mas o início da II Guerra Mundial faz com que a viagem marítima para essa localidade seja perigosa. Dessa forma, muda-se o destino para o Brasil, que vinha recebendo missionários verbitas desde 1885. Em 29 de Fevereiro de 1940, Fuss desembarca no Rio de Janeiro. Após várias viagens pelo território brasileiro, Fuss estabelece como pároco apenas em 1947, na cidade de Pitanga, PR.

Em 1956, após alguns anos em Pitanga, Padre Pedro Fuss é transferido para a cidade de São José dos Pinhais, onde ficaria até sua morte, em 1985. Em 13 de maio de 1956, o Padre assume como “Vigário” da Igreja Matriz do município. Na época não existiam muitas igrejas em São José dos Pinhais, então a paróquia central era responsável por todo o extenso território da cidade. Como pároco da Igreja Matriz, Pedro Fuss destacou-se tanto pelo carisma que conquistou grande parte da população católica da cidade, quanto pelas obras de benfeitorias que ele promoveu como a formação da Campanha da Fraternidade, em 1971, ou a Comunhão Pascal dos Trabalhadores, que era um almoço realizado em comunhão com os trabalhadores no dia 01/05, cuja despesa era paga pelos patrões. Além disso, foi responsável por várias reformas internas a Igreja Matriz, que iam desde a modificação do piso e da pintura, até a instalação do relógio na torre e aquisição de um órgão alemão. Os recursos para essas instalações e melhorias provinham de dinheiro que o padre recebia de contribuições de amigos e familiares alemães, bem como da herança de seus pais.

O Padre também foi responsável pela construção de outras paróquias nos bairros da cidade, como no São Pedro, São Cristóvão e Bom Jesus, através da instauração do dízimo no município.  Após a conclusão da paróquia de São Cristóvão, Pedro Fuss decidiu transferir seus trabalhos para a nova localidade, em 1971, por considerar que naquele bairro havia pessoas mais humildes que necessitavam de sua ajuda.

Seguindo os princípios da congregação do Verbo Divino, Pedro Fuss preocupava-se muito em realizar ações sociais. Em sua época de pároco da Igreja Matriz, ele ajudou dezenas de famílias carentes, às quais doava cobertores, alimentos e roupas pessoais.  Além disso, ajudou a criar cursos de capacitação para a população, como datilografia e “corte e costura”, á partir de 1960. Além disso, foi responsável pela criação do Centro Social Padre Arnaldo Jansen (1962), que oferecia tratamento dentário, assim como diversos cursos técnicos. Não obstante, o Centro também foi responsável pela criação da Escola Paroquial Padre Arnaldo Jansen (o padre também foi responsável pela idealização da escola Padre Pedro Fuss).

Por todos os serviços prestados ao município, Pedro Fuss foi agraciado com a concessão do título de Cidadão Honorário de São José dos Pinhais, em 1964, e a memória sobre sua pessoa continua viva até os dias de hoje na mente de muitos que puderam conhecer o padre.

Fonte: MOLETTA, Susete (org.). Padre Pedro Fuss, um fiel servo de Deus. São José dos Pinhais: Congregação do Verbo Divino – Província Brasil Sul, 2010.