• O espetáculo da imagem em movimento: a história do cinema em São José dos Pinhais

  • Voltar
 por 

No final do século XIX houve uma considerável produção de aparelhos e conceitos que proporcionaram o desenvolvimento das primeiras técnicas cinematográficas. Contudo, o grande marco da história do cinema foi a primeira projeção pública do cinematógrafo, que aconteceu em Paris no ano de 1895, com os irmãos franceses Auguste e Louis Lumière.

Quinze anos após a primeira exibição mundial, São José dos Pinhais entrava na era da Imagem em Movimento. A primeira projeção cinematográfica no município aconteceu em 1910, quando os irmãos Elpídio e Augusto Espínola compraram um equipamento do Cine Éden de Curitiba. Com o incentivo de Nhonhô de Paula, as sessões aconteciam no Clube XV de Novembro, que ficava situado próximo a Igreja Matriz de São José. Nesse período ainda não existia uma estrutura própria para a projeção e acomodação do público, as exibições fílmicas eram realizadas em uma sala ampla no térreo do clube e as pessoas traziam cadeiras de casa para assistir aos filmes.

Ideal Cinema

Em 1917, Alcídio Viana compra outro projetor e começa a organizar a estrutura de uma nova sala de exibição, também na Rua XV de Novembro, oferecendo acomodações para o público assistir aos filmes. Essa estrutura ainda não era a da estética tradicional das salas de cinema, os bancos eram feitos de ripas pintadas de verde.

A estética tradicional começa a parecer quando o cinema passa para propriedade de José Zaniollo, grande madeireiro. Ele amplia e reforma a estrutura por volta de 1920, formando o Ideal Cinema, com cadeiras coloniais separadas por corredores laterais, camarotes para cinco pessoas que ficavam na parte superior do cinema e os curiosos “galinheiros”, que consistiam em filas de bancos verdes de madeira com capacidade para cinco pessoas cada um. Para esse espaço o ingresso era mais barato.

O som não era sincronizado com a película cinematográfica, e para animar e dar ritmo as imagens mudas, a banda regida pelo maestro Chiquinho Pereira tocava durante as exibições. Os participantes da banda se reuniam dias antes das sessões para assistir aos filmes, assim, a melodia da música estava em paralelo com a cena exibida.

A sala de cinema, aos fins de semana, dava lugar aos famosos bailes e peças teatrais. As peças eram realizadas por grupos de teatro que vinham de Curitiba.

O Ideal Cinema funcionou até 1933, quando por motivos financeiros foi fechado, após ter passado pela administração de outros arrendatários.

Cine Império

No contexto global, a produção do primeiro longa-metragem com o som totalmente sincronizado com a película aconteceu em 1928, com o filme The Lights of New York (Luzes de Nova York) de Brian Foy. Em São José dos Pinhais isso só aconteceu no ano de 1941, quando Alberto Bichebiche construiu um novo cinema, também na Rua XV de Novembro, chamado Cine Império. Era o cinema falado, uma nova curiosidade para o público, que ficara sem sala de projeção por 8 anos.

Essa estrutura, mais tarde, passou a se chamar Cine Ideal e foi também administrada por Fortunato Moss, Angelo Berton, os amigos Heitor Nester e Eloy Strauch, e em 1954 por Daniel Précoma.

Cine Parque Teatro Marajá

Há poucas informações sobre essa sala de exibição. Contudo, sabe-se que funcionou no período da década de 50, e estava localizada na Rua XV de Novembro, em frente ao antigo Clube Esperança. As sessões de cinema aconteciam nas terças e quintas-feiras. Aos sábados e domingos eram realizados espetáculos teatrais.

Cine Ideal

Não há registro de data da mudança do nome de Cine Império para Cine Ideal. Contudo, o período de maior mudança aconteceu em 1954, quando o estabelecimento passou a ser propriedade de Daniel Précoma.

Nessa época existiam camarotes para as famílias mais influentes do município, porém, os donos desses camarotes, muitas vezes não assistiam às sessões no cinema local, preferindo os cinemas da capital. Assim, descontente com os lugares que ficavam vazios e apoiados na idéia que o cinema devia ser algo homogenizador, ou seja, para ricos e pobres, o novo proprietário Daniel Précoma, quebra todos os camarotes, aumentando a capacidade de público, como também igualando seu posicionamento.

Nesse período também foram criadas sessões especiais, como: as sessões das moças, sessão operário, sessão das crianças e beneficentes. Isso devido também, as greves do cinema que aconteceram, em que jovens estudantes faziam “filas bobas” reivindicando o valor dos ingressos, que eram maiores que os de Curitiba, e o meio ingresso para estudantes.

O Cine Ideal funcionou até o ano de 1972, deixando São José dos Pinhais sem sala de exibição.

Super Cine Ideal

No ano de 1968, Daniel Précoma começa a projetar um novo cinema no município, era o Super Cine Ideal. Localizado na praça 8 de Janeiro, a nova sala foi inaugurada no dia 31 de outubro de 1979, e sua estrutura moderna chamou atenção da população de São José dos Pinhais, que viu como filme de estreia o documentário Um Paraná Diferente de Sylvio Back.

Com capacidade para 400 pessoas, sua estrutura de som e projeção acompanhava o padrão dos melhores cinemas de Curitiba. O cinema funcionava com uma sessão diária, sendo que, aos domingos aconteciam quatro sessões fílmicas.

O Super Cine Ideal funcionou até 1987, quando foi arrendado e sua estrutura passou a ser o Cine Plaza II.

Cine Plaza São José

Em 1987, Alfredo Prim, proprietário do Cine Plaza em Curitiba, compra o Super Cine Ideal e transforma em Cine Plaza São José.

O fechamento definitivo do espaço de exibição de filmes aconteceu no ano de 1993. Devido a novas estruturas dos cinemas incorporados a rede de shopping, que ofertavam estacionamento, comida e lojas, ocorreu queda acentuada de público modificando definitivamente os espaços físicos dos cinemas em geral. Assim, São José dos Pinhais novamente fica sem sala de cinema.

Cinemateca – Museu Municipal

No ano de 2007 é inaugurada a Cinemateca de São José dos Pinhais, anexa ao Museu Municipal Atílio Rocco. Para inauguração foram expostos objetos que retomavam a história do cinema em São José dos Pinhais, como o antigo projetor de filmes, de 1953, usado no Super Cine Ideal e cartazes dos artista e filmes que eram exibidos nos antigos cinemas.

A programação da cinemateca contava com a exibição de clássicos que marcaram época na trajetória do cinema, filmes atuais e principalmente filmes nacionais, abrangendo assim público amplo.

CineMark

Em 2008, após mais um período no qual a cidade ficou sem sala de cinema, a rede CineMark trás de volta as “telonas” para o município.

A rede fundada em 1984, e com sede nos Estados Unidos, é uma das três maiores redes do ramo do cinema mundial, e no Brasil lidera o mercado de exibição de filmes. Em São José dos Pinhais, o CineMark possui cinco grandes e modernas salas de exibição, localizadas no Shopping São José.

Fontes:

Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de História e Teoria.http://fido.palermo.edu/servicios_dyc/publicacionesdc/index.php